No Brasil, a Ituran é líder no mercado de monitoramento de veículos.
Fale Conosco
Ligue em casos de emergência: 0800 15 36 00
Canais de Vendas: 0300 010 5566

Muita chuva, velocidade, quedas, ultrapassagens, não faltou emoção na Superbike que aconteceu em Santa Cruz do Sul no domingo (18). Apesar das condições climáticas não terem favorecido, o público sempre fiel e animado compareceu em peso para assistir disputas a mais de 280km/h. A Equipe Mobil Ituran Racing não decepcionou e faturou pódio com todos os pilotos da equipe.

Dudu Costa Neto largando em quinto lugar conquistou a terceira colocação na SuperSport Pro, Sabrina Paiuta fez um terceiro lugar na primeira bateria e um segundo lugar na segunda bateria, exatamente o contrário de Joãozinho Sobreira que ficou com um segundo e um terceiro respectivamente na Superbike Pro Estreante. Anderson Rocky ficou com um quinto e um quarto lugar nas também duas baterias da Superbike Amador.

Segundo Dudu, as condições extremas de pilotagem devido a chuva proporcionaram um sabor maior a essa conquista da equipe. “A chuva leve que caia parou momentos antes da largada, com a pista úmida todos pilotos largaram de pneus de chuva, já na terceira volta assumi a terceira posição e volta a volta a diferença para o segundo colocado diminuía. A pista começou a formar partes secas ou como dizemos trilhos, os pneus de chuva super macios começaram a se deteriorar muito rápido tornando a pilotagem ainda mais difícil e arriscada. Cruzei a linha de chegada muito próximo ao segundo colocado, garantindo pódio e ótimos pontos para a reta final do campeonato”, comentou Dudu.

Sabrina que pela primeira vez competiu com chuva com uma 1000cc disse que essa corrida foi uma grande experiência para ela: “Na primeira bateria do dia a chuva não deu trégua, foi difícil conduzir a moto nas condições que a pista se encontrava, mas acredito que mesmo assim tive um bom resultado sai de 18 e finalizei em 14. Já na segunda prova, São Pedro judiou dos pilotos, pois próximo a nossa largada o sol surgiu e a pista ficou parte molhada, parte seca, mesmo assim as nuvens cinzas estavam ao nosso redor. A dúvida foi grande em utilizar ou não pneus de chuva. Eu escolhi pneus de pista molhada, outros de pista seca e até hoje não consegui definir qual foi a melhor escolha, mas em minha opinião fiz a decisão certa, mesmo com a quase seca e pneus de chuva, consegui fazer um bom tempo e terminar em 8ª na geral e 2 na categoria pro estreante”, afirmou Sabrina.

FOTOS

FOTOS